segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Insônia.

Sundries


São duas e vinte da madrugada; voltei para meu terracinho.

Nada de chuva, nada de Lua, tempinho chato e encoberto; ondas quebrando em Pitangueiras e Astúrias; sua vista, seu som, me embalam a vigília.

Não consigo dormir.

Não consigo dormir de há algum tempo, assombrado por problemas aparentemente insolúveis, a não ser depois do terceiro, às vezes quinto Natu Nobilis, sonífero que não dá bobeira, não leva a dormir demais (seis horas são suficientes), não dá ressaca, não embota o raciocínio.

Continuei a ler mais um romance de Raymond Chandler, não só um mestre de romances policiais, mas um mestre da literatura.

Quem for abstêmio e nunca tiver dado uma tragada deliciosa num cigarro jamais poderá apreciar verdadeiramente as aventuras e peripécias de Phillip Marlowe e dos personagens das tramas.
Puxa vida! Já são quase 4 e meia! Tenho que tentar dormir.

Um pedaço de chocolate de 75 ou mais % de cacau é meu condão para definitivamente entrar direto no sonho; não durmo direto no tal de escuro, oblívio: direto num sonho.

Se o sonho é em tons de cinza – não sei se 50, mais, ou menos –, é porque tudo está relativamente calmo, sem grandes preocupações.

Mas em geral são sonhos lindos, gostosos, com miríades de cores e luzes. Tenho leve daltonismo para algumas tonalidades, mas nos sonhos enxergo – penso eu – até coisas esdrúxulas como magenta, ciano, pearl green...

Apaguei rápido como sempre; nada do que acabara de ler ou dos eventos do dia inspiraram ou assombraram meus distintos, mas conexos sonhos em suas oníricas desconexões.

Acordei.

Como sempre que posso, não me levanto rapidamente: me viro de lado, ou para outro lado, e volto a rever meus sonhos, a curti-los e tentar gravá-los. Tenho incríveis roteiros malucos para muitos curtas e longas tão malucos quanto.

De barriga pra cima me espreguiço, primeiro pernas, barrigão, tronco e espinha, pescoço, braços então.

Pronto para mais um episódio em meu romance sempre – e espero que por muito tempo – inusitado e sempre inacabado.

Bom dia minha gente!

FMFG

Clique no assunto para acessar as respectivas postagens:

administração pública (1) ajuda a adiantados. (1) ajuda a iniciantes (1) amizade (1) Anabela Gradim (1) Ano Novo (1) António Fidalgo (1) Apresentação (1) Aquecimento Global (1) argonautas (1) Arnaldo Jabor (1) ateísmo (1) ateísmo militante (1) autossuficiência (1) AVAAZ (1) bancos (1) boto (1) Brahms (1) Brasil (3) Bunker Roy (1) Carl Sagan (1) carro elétrico (1) Chico Buarque (1) China (1) cidadania (1) Ciências (5) Claudio Villas Boas (1) comprovado (1) comunismo (1) Congresso (1) consumo de energia (1) Contos (1) crianças (1) crônica (3) cultura (1) Decreto 8.243 (1) Delfos (1) Descobrimentos (1) desenho (1) Dia Novo (1) dicas (1) Ditadura (1) DNA (1) Dori Caymmi (1) E não houve tempestade em Tóquio (2) efeito borboleta (1) eleições (2) eletricidade (1) eletromagnetismo (1) energia (1) entanglement (1) entrevista (1) Equador (1) Erick Vizolli (1) Estados Unidos (1) Feichas Martins (1) Fernando Pessoa (2) filhos (1) Filosofia (1) Física (4) Física Quântica (1) folclore (1) Frank Sinatra (1) Fritjof Kapra (1) Guarujá (2) Harlan Coben (1) Hedy Lamarr (1) hidrogênio (1) hiperespaço (1) História (3) Índia (1) Insônia (1) inútil (1) Jasão (1) João Villaret (1) José Nêumanne Pinto (1) Joyce (1) Judaismo (1) Kindle (2) Kobo (1) Leituras e Anotações (11) lenda (1) Letícia Martins (1) links sérios (1) literatura (6) Livraria Cultura (1) livro (3) lógica (1) Lula (1) Maeve Blinchy (1) manifestações (1) manipulações (1) matemática (1) memória (1) memórias (2) mentiras (1) Metrô de São Paulo (1) Michio Kaku (2) Miguel Sousa Tavares (1) mitos (1) Mônica Martins (1) motor (1) Movimento Pés Descalços (1) Música (2) Natal (1) natureza (1) Navegação (1) neurônios (1) Newton da Costa (1) Nick Bostrom (1) Nova York (1) origem da vida (1) Orlando Villas Boas (1) Paixão (1) Paris (1) Penélope (1) petição (2) petróleo (1) Pitangueiras (2) Pitkanen (1) poesia (17) povos indígenas (2) Pra Quê? (1) praia (1) Provocações e Desafios (9) realidade (1) Recife (1) Reminiscëncias (4) Richard Dawkins (1) Robert Paster (2) Roger Penrose (1) romance (1) Russia (1) safari (1) Segunda Guerra Mundial (1) semiótica (1) soberania (1) social-democracia (1) sociedade civil (1) Stephen Hawking (1) Sundries (28) Tabacaria (1) tecnologia (1) Telêmaco (1) Teoria Antrópica (1) teorias (1) teorias da conspiração (1) TGD (1) The God Delusion (1) Trabalhar em casa (1) tradição (1) trapaças (1) Ugo Volli (1) Umberto Eco (1) Universidade Barefoot (1) útil (1) utopia (1) Velocino de Ouro (1) verdades (1) verificado (1) viagem (1) vida (1) Você sabia? (3) voto (2) voto nulo (2) Was the universe made for us? (1)